A atriz de Fam deu o que falar enquanto andava pelo tapete cor-de-rosa com Zac Posen no evento de moda, realizado em Nova Iorque, na primeira segunda-feira de maio (06). Para o Met Gala deste ano, Dobrev usou um vestido personalizado de Zac Posen x GE Additive x Protolabs. O bustier é um vestido estampado claro com uma montagem de quatro peças para ajuste personalizado. O interior foi projetado para com combinar com a recreação em 3D da atriz.

A impressão e acabamento do bustier durou mais de 200 horas e foi impresso na Protolabs’ 3D na Alemanha.

Antes de chegar no tapete rosa com Posen, o E! News conversou com Nina enquanto ela se preparava com sua maquiadora, Charlotte Tilbury, que chamou o momento de “mágico”.

Falando sobre como surgiu a colaboração, Dobrev disse ao E! News que Posen chamou e convidou-a para participar do evento, dizendo que ele tinha uma “visão muito específica” para o look.

Ele fez uma parceria com essa empresa… É projetado por um homem, mas feito por tecnologia, essencialmente por um robô”, explicou Dobrev. “Levou 60 ou mais horas para o molde ser impresso e, em seguida, o vestido em si é um todo separado… Demorou cerca de seis ou oito semanas desde a montagem original até agora. É preciso uma equipe de seis pessoas para colocá-lo”, acrescentou a atriz. “Nós tivemos muitos acessórios”.

Nina foi posteriormente acompanhada por Posen, que mostrou o visual da atriz no Met Gala.

“Eu acho fantástico”, disse Posen sobre o design, usando impressão 3D. “Nina era a pessoa perfeita para usar este vestido.”

Confira todas as fotos da atriz no tapete rosa do evento clicando no link:


Tradução e adaptação: Equipe Nina Dobrev Brasil.

Já se passaram mais de dois anos desde a conclusão surpresa da primeira temporada de Big Little Lies, da HBO. Mas para a atriz Nina Dobrev, atualmente estrelando a sitcom da CBS “Fam”, aquele final ainda impressiona.

“Aquele episódio final foi tão poderoso, especialmente por causa da jornada que todas aquelas personagens tinham percorrido até aquele momento,” disse Dobrev durante o podcast “My Favorite Episode” da Variety. “Eu acho que foi o melhor episódio de todos. Tudo foi finalizado, as perguntas foram respondidas, todos os personagens foram resolvidos, exceto Perry (Alexander Skarsgård), mas tudo bem. Nós não queremos isso para ele.”

“Big Little Lies” foi originalmente criada como uma série limitada de apenas uma temporada, baseada no livro best-seller de Liane Moriarty. Mas o drama fez tanto sucesso, ganhando oito prêmios Emmy, que agora está foi renovada para retornar para uma segunda temporada no final deste ano. Na edição do “My Favorite Episode”, Dobrev fala sobre o final da primeira temporada de “Big Little Lies”, “You Get What You Need”, que foi ao ar em 2 de Abril de 2017. Ouça abaixo:

“Eu mal posso esperar para a próxima temporada,” disse Dobrev. “Aquele vínculo e aquela feminilidade é algo realmente forte. É ótimo que estamos vendo isso traduzido no filme e na vida real, e que foi logo depois do movimento [#MeToo], mas o momento não poderia ter sido melhor”.

Nicole Kidman, Reese Whiterspoon e Shailene Woodley estrelaram em “Big Little Lies” com mães na região de Monterey Bay, na Califórnia, que se envolveram em uma investigação de assassinato, enquanto Skarsgård, Laura Dern, Adam Scott e Zoë Kravitz também estrelaram. Jean-Marc Vallee dirigiu a primeira temporada, enquanto o famoso produtor de televisão, David E. Kelley, adaptou o livro para a série.

Kelley é conhecido como um especialista em TV aberta durante a maior parte de sua carreira, mas “Big Little Lies” foi parte de sua mudança para canais pagos. Dobrev disse que poderia se relacionar com a ideia de ser estereotipada em um papel.

“É sobre isso que estamos lutando contra o tempo todo,” disse ela. “Só porque alguém é conhecido por fazer uma coisa, não significa que ela não pode fazer de tudo. Todo mundo faz. É só questão de terem a oportunidade. Se eu lhe disser quantos roteiros sobre vampiros eu recebo, você riria. Claro que as vezes quero abordar — Eu adoraria fazer parte de um show da HBO, eu quero canais pagos. Eu adoraria fazer uma série e/ou filme de época. Eu quero ser um camaleão dessa maneira.”

Essa foi a idéia por trás de abordar uma sitcom multi-câmera. “Fam”, que está encerrando sua carreira de calouro na CBS, é diferente de tudo que ela já fez antes.

Criada no Canadá, Nina Dobrev começou a se apresentar ainda jovem, eventualmente conseguindo um papel na famosa série adolescente “Degrassi: A Próxima Geração”. Ela participou de inúmeras séries de TV e filmes como “As Vantagens de Ser Invisível” e “Then Came You”. Mas os fãs ainda conhecem seu melhor nas seis temporadas de “Diários de um Vampiro”.

Agora, em “Fam”, Dobrev interpreta Clem, uma jovem recentemente noiva de seu namorado, Nick, interpretado por Tone Bell. Sua vida se torna mais complicada, no entanto, quando a irmã adolescente rebelde de Clem passa a morar com eles.

“Fiquei intrigada, aterrorizada e, finalmente, animada porque seria um novo desafio para mim”, disse ela. “Comédia, comédia física. Eu sempre quis fazer teatro e isso pareceu um próximo passo natural para alcançar esse objetivo.”

Para estudar o modelo de seu novo projeto, Dobrev visitou os sets de “Mom”, “Big Bang: A Teoria”, e “Last Man Standing”, até recebeu alguns conselhos do rei da sitcom, Chuck Lorre.

“Eu nunca estive no set de uma sitcom em toda a minha vida,” ela disse. “Eu nem sabia que eles filmavam com quatro câmeras. Eu estava muito otimista e despreparada. Eu fiz minha pesquisa antes de pisar no meu próprio show. Sendo honesta, eu ainda estava — mesmo com a minha preparação e pesquisa — fora do meu elemento em vários aspectos, mas eu tive sorte porque Tone Bell foi muito apoiador. Ele segurou minha mão e me ajudou durante todo o processo.”

Dobrev disse que gostou da programação de multi-câmera — ensaiando toda semana, e depois se apresentando na frente de uma platéia ao vivo. Ela também gostou de filmar em ordem cronológica.

Enquanto isso, pediu para nomear seus episódios favoritos de seu trabalho anterior, Dobrev mencionou dois episódios de “Diários de um Vampiro”, “Lost Girls” (Primeira temporada, episódio 6), que ela aprecia a peça de época e a introdução de Katherine, e o episódio final da terceira temporada, “The Departed”, que traz à tona para a morte dos pais de Elena.
“Tivemos que filmar em um tanque debaixo d’água e fazer com que parecesse um pântano”, disse ela. Filmar essa cena foi muito bonito, impactante e triste. A experiência de filmar embaixo d’água, adoro fazer acrobacias e ter que ser sentimental e transpor isso embaixo d’água foi interessante.”

 

A nova edição da revista americana Story and Rain já foi divulgada e a escolhida do mês foi a nossa amada Nina Dobrev, além de um photoshoot incrível a atriz concedeu uma entrevista onde ela fala sobre trabalhos, vida pessoal e mais. Confira abaixo:

Nina Dobrev não é o que você pensa.

Sim, você pode reconhecê-la de Degrassi (ou ao lado de seu colega de elenco, Drake, em seu vídeo “I’m Upset”), The Vampire Diaries, ou The Perks of Being a Wallflower. Ela é altamente reconhecível – talvez você também seja um de seus 17,6 milhões de seguidores no Instagram. Ultimamente, ela está mostrando um lado diferente de si mesma: uma que investiu profundamente em #TimesUp, tem um senso de humor seco, tem papéis de roubo de cena em filmes independentes e tem sonhos na Broadway. Nós conversamos com a atriz de 30 anos enquanto ela estava se recuperando de um resfriado em Los Angeles e falou sobre seus medos, seus superpoderes e sua nova sitcom, Fam.

MM: Você sente falta de filmar em Atlanta?

ND:  Quando eu estava em The Vampire Diaries, fiquei em Atlanta por uns 6 anos. Eu ainda tenho uma casa lá – eu dedico muito tempo, energia e dinheiro para decorá-la. A cidade é tão legal e crescendo e crescendo de certa forma. Quase todos os filmes da Marvel filmam em Atlanta. Você vai sair e encontrar o Capitão América ou Tony Stark.

MM: Ouvi dizer que há muitos filmes sendo gravados na Hungria.

ND: Na Bulgária, de onde eu sou, há um grande estúdio de cinema. Mas eu nunca voltei para casa, o que é triste para minha família. Minha família diz: “Por que você não filma aqui?” Meus avós, meu primo e meu pai moram lá.

MM: Eu tinha um amigo que morava na Hungria e disse que tinha o melhor iogurte do mundo.

ND: Isso é novidade para mim, eu não sou uma grande fã de laticínios em geral, eu sou livre de produtos lácteos. Eu como carne, no entanto.

MM: Você faria um filme da Marvel?

ND: Eu fiz o teste para alguns deles. Eu ainda tenho que lutar por papéis.

MM: Qual é o seu próprio superpoder?

ND: Meu superpoder? Eu sou muito persuasiva. Quando eu coloco minha mente em algo, eu decido quais passos tomar para chegar onde eu quero alcançar e seguir adiante.

MM: O que está na sua geladeira agora?

ND: Eu tenho iogurte de leite de coco Lavva e um pouco de pão sem glúten de um spa que eu fui, e muita sopa porque eu estou doente. Eu tenho todos os ingredientes para o meu shake de proteína. Eu tenho uma tonelada de condimentos e não tenho nada para colocá-los.

MM: Como Fam aconteceu?

ND: Eu não estava procurando fazer uma comédia, e percebi o quão pouco eu sabia sobre sitcoms. Eu era uma grande fã de Friends, Will e Grace e Seinfeld, mas nunca os assisti com um olhar crítico. Eu não sabia que eles foram filmados em frente a uma platéia ao vivo. Meu gerente e agentes disseram que é basicamente uma peça que você prepara em uma semana, e é um meio desafiador de se fazer. Eu sempre amei um desafio – se isso me assusta, isso é uma indicação de que eu deveria fazer isso.

MM: Você tem um papel em Run This Town, sobre o falecido e controverso prefeito de Toronto, Rob Ford, e recentemente estreou no SXSW.

ND: Eu não tinha visto o filme até o primeiro show no South By, e eu estava um pouco nervosa por fazer um filme que eu ainda não tinha assistido e fiquei agradavelmente surpresa. É dinâmico e rápido e tem um toque cômico. Minha personagem é uma mulher forte que tem uma experiência no local de trabalho e lida com isso. Esses eventos ocorreram há mais de 7 anos; Na época, não havia uma aliança de mulheres juntas que pudesse fornecer apoio.

MM: Ouvi dizer que você gosta de tubarões.

ND: Como embaixador da Oceana, uma ONG sem fins lucrativos, estive envolvida em dois documentários nos últimos dois anos sobre o tema de tubarões no oceano e conservação. Um problema que descobri é que não temos consciência do mundo subaquático e não podemos interagir com ele tão de perto, então não vemos realmente o quão importante o oceano é para nós. Os peixes, os corais, os tubarões: é um grande ecossistema que depende de todas as facetas para trabalhar. Estamos a caminho de eliminar todos os tubarões, e a mídia os retrata de uma forma tão negativa. Eu estava com medo deles por causa dos filmes que eu vi crescendo. Eu decidi enfrentar meu medo; Quando cheguei na água, percebi o quão dócil, frio e pacífico e, mais do que tudo, quão desinteressado em humanos eles são. O filme ‘’The Shallows’’ me enfureceu. Blake Lively é talentosa, bonita e surpreendente. Mas o filme retratou os tubarões de uma forma que eles não se comportam. O medo é injustificado. Se matarmos todos os tubarões, eles estão no topo da cadeia alimentar – é um ecossistema muito delicado de respeitar e proteger. A legislação precisa mudar para proteger os animais. Se uma nação como os EUA ou a China mudasse suas políticas, seria uma grande vitória, e seria um exemplo para outros países seguirem o exemplo.

MM: Se não tubarões, do que você tem medo?

ND: Eu tenho medo desse resfriado que eu peguei. Eu tenho muito trabalho a fazer, e essa situação cerebral nebulosa vai me atrasar. Estou tomando óleo de orégano, que é nojento, chá, mais líquidos e dormindo muito.

MM: O que você faz quando está presa em uma rotina?

ND: Dance. Se estou presa, significa que tudo o que estou fazendo não está funcionando. Eu normalmente estou sentada quieta, então tento reiniciar meu corpo cantando e dançando, tentando entrar em um estado lúdico, criativo e energético. As ideias fluirão daí. Ou pelo menos eu serei mais feliz!